fbpx

Pandemia e influência no sono infantil

Ultimamente estamos ouvindo falar muito da importância do sono em nossa vida. A medicina e a odontologia do sono estão esclarecendo o valor do sono de qualidade, repercutindo também na nossa disposição, durante o dia.

Mas, como conciliar tudo isto, se estamos vivendo dias de tanta ansiedade? Esta geração não tinha histórico de confinamento e, se já dávamos valor à liberdade de ir e vir, antes do corona vírus, agora podemos dizer que a liberdade está mais valorizada ainda! A pandemia altera nosso comportamento, nossa forma de relacionamento e, como não podia deixar de ser, nosso sono…

Pais e mães, também privados de sua rotina, vêm buscando formas de proteger seus filhos e entretê-los, mantendo-os ocupados, durante o período de isolamento social. Eles seguem atentos e vigilantes, mas esta tarefa não está sendo fácil não!

É fato conhecido que que o hormônio de crescimento, de que as crianças tanto precisam, é produzido durante a fase de sono profundo, mas que a consolidação do aprendizado durante o dia, também precisa de um boa noite de sono.

O sistema imunológico, defesa de que tanto precisamos nesta época, também sofre com o déficit de sono. Tudo isto justifica a criatividade dos pais, tentando ter um clima de serenidade, preservando, na medida do possível, a rotina de sono e os horários.

Mas não é apenas o corona vírus que pode atrapalhar nosso sono, estamos entrando no inverno, época do ano em que, tradicionalmente, os serviços de saúde, são muito solicitados, em razão de problemas respiratórios.

Esta situação que, independente de pandemia, é uma constante e se repete todos os anos, pode estar ligada a um problema agudo, um quadro bacteriano ou a agudização de um problema crônico, alérgico, pré-existente, como uma rinite, por exemplo.

Explicando melhor, se a criança já tinha uma respiração bucal, durante o dia, podendo inclusive, respirar com esforço, durante a noite, emitindo ou não, um som de ronco, a respiração com a boca aberta pode facilitar o contato com bactérias do ambiente, predispondo-a a contrair infecções, mais facilmente do que nas outras crianças, que respiram, normalmente, pelo nariz.

A ansiedade e insegurança, dos tempos atuais, favorecem à privação ou redução das horas de sono, fragilizam o sistema imunológico. Justamente este, que nos defende de todas infecções, inclusive do coronavírus.

Estas infecções, sendo recorrentes, além de aumentar a frequência com que necessitam de medicação, farão com que os órgãos de defesa, incluindo amígdalas e adenoides trabalhem mais e, com a demanda maior, aumentem de volume.

Este aumento de volume, restringe ainda mais o espaço para respiração nasal, que passa a ser compensada pela abertura da boca. Isto descompensa o tônus muscular, relacionado com a boca, deformar também os ossos maxilares, onde estão os dentes de leite ou, dependendo da idade, os permanentes.

Quando isto acontece, se faz necessária a atuação do otorrinolaringologista, para a desobstrução das vias respiratórias e do ortodontista, para a correção óssea dos maxilares.

Bem, estamos abordando um assunto que já faz parte da rotina de eventos que acometem um organismo em crescimento, mas agora temos que nos adequar aos cuidados com a pandemia, sem nos esquecer dos detalhes que podem alterar o resultado harmonioso do crescimento facial.

Nossa rotina foi mudada com o corona vírus e estamos nos adaptando, confiantes de que “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe”.

Seguimos confiantes de que tudo vai passar mas, mesmo que estejamos vivenciando as restrições impostas pela pandemia, voltemos agora, no inverno, nossa atenção para o sono e a respiração das crianças!

 

Caso possamos auxiliar com mais alguma orientação, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco, no link abaixo.

Share:
Leave comment

WhatsApp chat