fbpx

SABIA QUE O TRATAMENTO ORTODÔNTICO VAI ALÉM DA BOA APARÊNCIA?

ENTENDA SUA IMPORTÂNCIA
Normalmente, o que motiva uma pessoa a fazer um tratamento ortodôntico é a vontade
de ficar com os dentes alinhados e o sorriso perfeito. Mas nem sempre essa é a única
razão, pela qual o tratamento deva ser feito!


Além da estética, a normalização da função é a mais importante questão de
estabilidade, quando se realiza o tratamento. Não adianta ficar com os dentes
ajustados e bonitos, se eles não cumprirem bem suas funções, certo?
Afinal, a digestão começa na boca e a eficiência da mastigação, de ambos os lados, vai
fazer a diferença.
EM QUAIS CASOS O TRATAMENTO ORTODÔNTICO É INDICADO?
Existem diferentes situações em que o aparelho ortodôntico pode ser recomendado
pelo dentista ou pelo médico. Correção de desalinhamento dentário, falta ou sobra
de espaço, mordida em que os dentes superiores cobrem os inferiores, dentes que
não se tocam na frente, cruzada anterior e posterior, tracionamento de dentes
inclusos, presença de menos ou de mais dentes na arcada, são alguns fatores que
justificam a indicação.
Além disso, hábitos de sucção de dedo, chupeta e lábios, também podem levar a
necessidade de tratamento ortodôntico, por isso é importante evitar ou corrigir estes
hábitos!
Alguns casos podem ser indicados pelos otorrinolaringologista, quando pesquisam
a queixa de dor no ouvido, sem que encontrem razão para tal. A origem pode estar
na articulação dentária, causando sobrecarga na articulação entre os maxilares, a
famosa ATM, cuja dor é refletida, necessitando de diagnóstico por exclusão.
São raros os casos em que o ortodontista é procurado, apenas pela estética
comprometida e que ele não encontre fatores funcionais, durante a pesquisa
diagnóstica, que também justifiquem a correção ortodôntica. Mas, de uma maneira
geral, a busca pelo tratamento é pelo comprometimento do aspecto estético do
sorriso.
DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES


Entre as funções, que vão além da estética, um dos motivos para se usar aparelho
ortodôntico, é o equilíbrio da articulação dentária, no tratamento da disfunção
temporomandibular. Esse é um problema multifatorial que envolve a musculatura
mastigatória, as articulações temporomandibulares, estruturas adjacentes e outros
fatores. Tudo isto pode estar acompanhado de dores de cabeças, dores nas ATMs,
na região do ouvido e pescoço, além de fadiga muscular, zumbidos, estalos, etc.
Todas estas estruturas ficam na interface de atuação do ortodontista e do
otorrinolaringologista.
Como esse problema é multifatorial, o tratamento ortodôntico deve ser considerado,
quando o paciente apresenta má oclusão associada aos sintomas da DTM. Na
medida que se corrige a má oclusão, ocorre uma melhor distribuição de forças e
melhor articulação dos dentes. Com isso, são gerados o equilíbrio e a melhora da
função dos dentes com as outras estruturas.
Bem, o diagnóstico correto é o começo da cura e da satisfação do bom resultado.
Em saúde, é aí que está o valor do profissional e o segredo do sucesso! Um
diagnóstico bem feito economiza muitas etapas, tempo e dinheiro.
Agora, se você identificou alguns destes fatores e precisa de ajuda, entre em contato
conosco no link abaixo.

Share:
Leave comment

WhatsApp chat