fbpx

APNEIA DO SONO EM ADULTOS

APNEIA DO SONO EM ADULTOS

Apneia pode ser obstrutiva, central ou mista.

– Apneia obstrutiva do sono no adulto

É a mais comum e ocorre quando os músculos da garganta relaxam e as vias respiratórias se fecham, interrompendo a inspiração e reduzindo drasticamente o nível de oxigênio circulante.

O perigo é que o cérebro não recebe do sangue suficiente concentração de oxigênio.

Sem respirar, mesmo que não se dê conta, você desperta, por um breve momento. Cada despertar significa interrupção e perda da qualidade do sono. Isto ocorre para que haja a recuperação do tônus muscular e as vias respiratórias possam se reabrir, permitindo que a respiração volte ao normal.

A Apneia e o Ronco, se repetem inúmeras vezes, ao longo da noite, causando sérias complicações orgânicas, principalmente se ainda não houver diagnóstico.

Os vários despertares, torna o sono irregular, dificulta que seja alcançado o sono profundo, prejudicando a produção de mediadores químicos e hormônios, impedindo também o repouso. A pessoa acorda com dor de cabeça e cansado. As vezes como se não tivesse dormido.

Se o sono da noite não foi eficiente, sobrevém a sonolência diurna, muitas vezes, perigosamente incontrolável, muito perigoso e incompatível do a direção de um veículo, por exemplo.

Apneia é distúrbio do sono com severa repercussão negativa na saúde, na vida familiar, profissional, social, etc.

Causas

Apneia obstrutiva do sono ocorre quando:

– Há obstrução das vias respiratórias.

– Situações como obesidade, aumento das amídalas, circunferência do pescoço e alterações craniofaciais.

Todas as pessoas podem apresentar apneia do sono, inclusive crianças. Os homens, em geral, são mais propensos a desenvolver a doença do que as mulheres. Estas também têm o risco aumentado de terem apneia, se estiverem acima do peso e após a menopausa.

Os principais fatores de risco para apneia obstrutiva do sono

– Aumento das amígdalas e adenoides (em crianças)

– Obesidade.

– Anormalidades craniofaciais (Ex: micrognatia, retrognatismo, hipoplasia do terço médio da face, base do crânio excessivamente inclinada)

– Certos fármacos (Ex: sedativos, opióides)

– Mucopolissacaridoses
– Distúrbios que causam hipotonia ou hipertonia (Ex: síndrome de Down, paralisia cerebral, distrofias musculares)
– Fatores genéticos.

Postar Comentário

WhatsApp chat